imgheight="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=368964349309808&ev=PageView&noscript=1" /

Free Flow: o que é e como funciona

O pedágio é uma cobrança feita por concessionárias das estradas para subsidiar gastos com manutenção de uma via de transporte. Ao longo dos anos, os motoristas já se habituaram a pagar pedágios em muitas rodovias brasileiras, certo? Porém, pensando em otimizar o fluxo de veículos, foram criadas formas de facilitar o pagamento – como o free flow.

Você, como gestor de frota, deve conhecer a modalidade de pedágio free flow e como ela impacta nos custos com a frota da empresa. Para isso, preparamos este conteúdo! Continue a leitura!

O que é pedágio free flow?

Free flow, traduzido para o português, significa “fluxo livre”. Como o nome mesmo diz, corresponde a uma modalidade de pagamento de pedágio sem a necessidade de parar em praças de pedágio.

Também conhecido como “pedágio sem barreiras” ou “sem parar”, esse sistema de cobrança de pedágio permite que os veículos passem pelo ponto de leitura sem a necessidade de parar ou reduzir a velocidade. 

Além disso, o free flow considera a quantidade de quilômetros rodados. Ou seja, o pagamento do pedágio é proporcional à quilometragem andada até aquele momento, e não uma taxa fixa por tipo de veículo.

Este tipo de cobrança foi instaurado pela Lei n°14.157/2021, sancionada há cerca de dois anos e regulamentada pela Resolução 984/22 do CONTRAN . 

Para funcionar, o sistema de free flow utiliza tecnologias como RFID (identificação por radiofrequência) e câmeras para identificar os veículos que passam pelo ponto de leitura por meio de Reconhecimento Óptico de Caracteres (OCR).

Como funciona o pedágio free flow?

O free flow funciona de maneira semelhante aos adesivos de pedágio automático: o sistema faz a leitura do adesivo instalado no veículo ou realiza a leitura dos caracteres de suas placas e o valor é cobrado diretamente.

Para utilizar o pagamento através do pedágio free flow é necessário que a concessionária que administra a rodovia instale pórticos nos principais pontos de acesso, como entrada e saída de municípios.

Isso é necessário para identificar os veículos que entram ou deixam a rodovia – realizando a cobrança conforme o trecho percorrido.

O sistema identifica de forma automática o veículo cadastrado e realiza a cobrança diretamente de uma conta previamente vinculada, geralmente por um dispositivo instalado no veículo ou por meio de leitura das placas.

O pedágio será cobrado a partir da identificação por meio de:

  • tag ou adesivo;
  • reconhecimento de caracteres (leitura da placa e identificação no sistema).

Como pagar o pedágio eletrônico?

Para utilizar o pedágio free-flow, é necessário se cadastrar de forma prévia no sistema oferecido pela concessionária responsável pela rodovia. 

Durante o cadastro, o motorista ou gestor de frota informa os dados do veículo, registra uma forma de pagamento e, se necessário, recebe uma tag para instalação no veículo.

Para aqueles veículos que possuem as tags de cobrança, o valor do pedágio será debitado de forma automática, de forma semelhante ao que ocorre nas cabines de cobrança automática.

No caso de veículos que não possuem a tag de cobrança, o sistema faz a leitura da placa e o valor do pedágio estará disponível para pagamento em até 48 horas. 

A tarifa deve ser paga em até 15 dias por meio de cartão de crédito ou Pix.

Vale ressaltar que os métodos de pagamento podem variar segundo o sistema de pedágio adotado em cada rodovia ou região. 

Portanto, é aconselhável verificar as instruções específicas da concessionária ou operadora responsável pela cobrança do pedágio free flow na região em que você pretende utilizá-lo.

Como é realizada a cobrança?

A cobrança do free flow é feita de forma automática, sem que o motorista precise parar no pedágio para realizar o pagamento. Em alguns locais o free flow é cobrado com quilômetro percorrido dentro da rodovia, já em outros a cobrança é feita por tarifa cheia.

Após se cadastrar no sistema da concessionária, o débito da passagem pelo pedágio fica disponível para pagamento por aqueles motoristas que não possuem os adesivos de cobrança.

O pagamento ainda poderá ser realizado através do WhatsApp, aplicativo ou site da concessionária. De forma presencial, as bases operacionais são disponibilizadas para pagamentos em dinheiro e cartão de débito.

Vale lembrar que o não pagamento de uma tarifa de pedágio pode acarretar uma infração grave de trânsito — denominada de evasão de pedágio, prevista no artigo 209-A do Código de Trânsito Brasileiro. O valor da multa prevista é de R$195,23.

Quais os benefícios desse sistema de pagamento?

Os benefícios do sistema free flow abrangem tanto as concessionárias, quanto os motoristas e as empresas de transporte.

Além do ganho de tempo e fluidez no transporte de cargas, o free flow ainda proporciona benefícios relacionados à segurança dos motoristas.

  • Aumento da segurança: por não necessitar parar e realizar o manuseio de dinheiro, a exposição aos assaltos e roubos é menor;
  • Redução de custos para a concessionária: com o sistema automático de cobrança, a empresa concessionária diminui os gastos com operações de cobrança, como manutenção de cabines e contratação de pessoal;
  • Maior controle do gasto com pedágio para a gestão de frota: o free flow proporciona maior controle dos gastos relacionados ao pedágio para os gestores de frota. É possível saber exatamente o valor cobrado.
  • Economia de tempo e combustível: não precisar parar para realizar o pagamento do pedágio permite que o fluxo do transporte seja contínuo e promove ganho de tempo nas operações. Além disso, há economia de combustível por conta do fluxo contínuo.
  • Melhoria na fluidez do tráfego: a fluidez é um ponto-chave para evitar congestionamento e atraso nos roteiros de entrega na estrada. 

O free flow no Brasil

O sistema free flow de pedágio está em expansão no Brasil. Podemos encontrá-lo nas seguintes cidades:

  • São Paulo: a cidade foi uma das pioneiras na adoção do sistema Free Flow no Brasil.
  • Rio de Janeiro: o Rio também começou a adotar este sistema em algumas de suas vias.
  • Porto Alegre: está em fase de testes para implementar o sistema em suas rodovias.
  • Belo Horizonte: está em discussão a implementação do Free Flow.

E aí, você já conhecia o pedágio free flow? Quer acessar mais conteúdos como este? Continue acompanhando nosso blog!

Posts Relacionados