Entrevistas

Capacitação de motoristas no transporte público

Escrito por: Renato Mello

A Younder e o canal Mova-se conversaram com Francisco Christovam, ex-presidente do SPUrbanuss sobre capacitação de motoristas no transporte público. O Sindicato das empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo congrega as empresas concessionárias responsáveis pelos serviços de transporte de passageiros por ônibus do Município de São Paulo.

Francisco é engenheiro civil, com mestrado em engenharia civil e especialização em administração industrial e em administração de transportes. Atualmente, além de assessor especial do SPUrbanuss, ele é vice presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo – FETPESP. Atua também como membro de conselhos, associações e confederações nacionais voltadas ao transporte, como Confederação Nacional dos Transportes – CNT e Associação Nacional de Transportes Públicos – ANTP

Ele fala sobre o desafio de colocar uma enorme frota de ônibus nas ruas de São Paulo, que passa pela capacitação e treinamento constante de toda equipe.

Veja o vídeo produzido pela Younder em parceria com o canal Mova-se com mais esse bate-papo enriquecedor sobre mobilidade e gestão de frota.

Se preferir, leia logo abaixo os principais tópicos dessa conversa. 😉

Capacitação e treinamento de motoristas

“Eu diria que a capacitação do nosso pessoal de operação é um dos pilares de sustentação daquilo que nós chamamos de serviços de qualidade. Então nós precisamos de veículos bons, de uma infraestrutura adequada, de sistemas de controle e monitoramento, de comunicação com o nosso cliente.

Precisamos de gente capacitada, de motoristas capacitados, pessoal de fiscalização, pessoal de programação de linhas. Toda a equipe envolvida com a produção de serviço de transporte por ônibus deve estar adequadamente capacitada e treinada para responder ao desafio de colocar essa enorme frota que a gente coloca todo os dias em operação na cidade de São Paulo, nas melhores condições possíveis.”

Leia também: Treinamento para motoristas: Guia completo de capacitação de frotas

Treinamento prático X treinamento teórico

“Tudo é importante. É claro que a teoria sempre ajuda, a prática também. Eu vejo como extremamente necessário preparar o nosso pessoal para ser de fato o elo entre a empresa, que é responsável pela produção do serviço, e o nosso cliente. Ele é a pessoa que recebe o cliente no veículo e que conduz o passageiro até o final da sua viagem.

O importante é que ele aprenda, que ele seja capacitado e treinado para usar de toda a urbanidade possível e que facilite, inclusive, que o próprio cliente se dê conta da importância que o operador tem para o funcionamento do sistema. Isso falando dos motoristas, que são os que estão mais à vista do nosso cliente, do nosso passageiro. 

Agora o pessoal de suporte, os programadores de linha, o pessoal de manutenção, sem dúvida, o pessoal da administração, enfim, toda a parte que fica na garagem também precisa de um treinamento muito forte e que seja capaz de responder aos desafios atuais. 

A gente tem insistido muito que a característica do transporte vem mudando com o passar do tempo, numa velocidade muito grande agora por causa da chegada das novas tecnologias, principalmente, e nós temos que ter capacidade de responder a esse novo desafio que é colocado para todas as empresas.”

Capacitação em relações com o público

“Tudo é válido. Eu acho que as chamadas relações pessoais, ele ser a pessoa capaz de transmitir ao passageiro uma tranquilidade não só tranquilidade no ato de dirigir, eu acho que hoje as relações pessoais, investir na forma como o motorista se relaciona com o cliente é mais importante que as questões técnicas tais como direção econômica, direção segura, direção defensiva.”

Leia também: “Gestão de frotas eficiente salva vidas”, entrevista com Flavio Tavares líder do Instituto Parar.

Apoio aos motoristas

“Quase todas as nossas empresas têm em suas equipes de recursos humanos assistentes sociais que fazem esse acompanhamento, e que quando a operação passa a informação de que o motorista está dirigindo de uma forma diferente daquela que ele costuma fazer, a assistente social já entra automaticamente no processo para entender o que está acontecendo.”

Acompanhamento permanente

“As empresas costumam (quase todas fazem isso), quando o motorista volta de férias, eles passam por uma reciclagem. Eu gostaria muito que os nossos operadores também pudessem passar por um simulador de direção e ali se criar artificialmente situações que demonstrassem que eles estão preparados.

Insisto, muito mais para conduzir veículos sofisticados, que hoje a tecnologia veicular vem incorporando cada vez mais aparatos, equipamentos e questões que o condutor precisa dominar e controlar. Isso não significa, necessariamente, que o motorista de uma hora para outra desaprendeu ou não sabe mais dirigir.

Se o motorista não acelera indevidamente, se ele não exige do motor, por exemplo, mais potência do que o necessário, se ele não faz a frenagem brusca e já começa usar mais o freio motor… O resultado de tudo isso é economia para a empresa, a partir do próprio funcionamento dos veículos.”

VEJA TAMBÉM: “A importância da capacitação dos motoristas de frota” – Entrevista com Luiz Carlos Mantovani Néspoli (Branco), Superintendente da Associação Nacional de Transportes Públicos – ANTP. Ele fala sobre a importância de investir na capacitação e treinamento de motoristas de frotas, a tecnologia dos simuladores e dos benefícios para as empresas e sociedade.