Treinamento para frotas

Treinamento em Direção Defensiva

Escrito por: Carlos Bafutto

A importância da direção defensiva e por que a realização de treinamentos de direção segura deve ser uma rotina em qualquer empresa que possui frotas.

Condutores de veículos, profissionais ou não, são expostos a situações de perigo ao dirigir. E evitar os riscos do trânsito é um fundamento da direção defensiva que deve ser respeitado por qualquer motorista.

E quando falamos da direção segura, as frotas ganham contornos ainda mais sérios. Afinal, motoristas profissionais tendem a passar muito mais tempo atrás do volante e, por consequência, correm mais riscos.

O que abordamos neste post?

Neste post iremos abordar a importância do treinamento em direção defensiva e por que a capacitação dos colaboradores das frotas deve ser uma rotina em qualquer empresa.

O que é direção defensiva

A direção defensiva é um conjunto de habilidades, técnicas e estratégias que ajudam o condutor a se proteger de acidentes.

Além de ajudar a prevenir acidentes causados por lapsos, desatenções ou agressividade ao volante por parte de outros motoristas, a direção defensiva também compreende a observância das leis de trânsito e a prevenção às más condições das vias ou intempéries climáticas.

Obrigatoriedade do treinamento de direção defensiva

O capítulo XIV – Art. 148 do Código de Trânsito Brasileiro, determina em seu parágrafo primeiro que “a formação de condutores deverá incluir, obrigatoriamente, curso de direção defensiva e de conceitos básicos de proteção ao meio ambiente relacionados ao trânsito”.

A Resolução nº 168 do CONTRAN institui, desde 2004, a obrigatoriedade do curso de direção defensiva em alguns contextos. Voltado a motoristas de transporte de passageiros e carga, o curso visa ensiná-los a conduzir de forma preventiva a fim de evitar acidentes.

Tal curso tem a finalidade conscientizar e educar condutores para diminuir a ocorrência de acidentes. A carga horária mínima desse curso deve ser de 10 horas.

Os condutores que ainda não tiverem feito o curso de direção defensiva e de primeiros socorros deverão ser submetidos ao curso, conforme normatização do Conselho Nacional de Trânsito, ao renovar a CNH.

DICA: Para os responsáveis pela frota que estão contratando novos motoristas, é importante confirmar a certificação do novo colaborador para este curso. Além disso, vale pensar em um processo de integração de novos condutores da frota e, também, ter uma cultura de treinamentos periódicos. Reciclar conhecimento com treinamentos de direção defensiva e econômica é fundamental para manter a eficiência e segurança do seu time.

eBook Tríade da Gestão de Frotas

Empresas que aplicam treinamento com os motoristas 

Empresas de alta performance sempre estão em busca da eficiência operacional e, o treinamento contínuo da equipe, é um dos pilares para alcançar bons resultados.

Preocupados com a preservação da vida no trânsito e bem-estar dos funcionários, a Coca-Cola FEMSA nos procurou para aplicar um treinamento para mais de 700 motoristas que fazem parte da sua operação. Assista abaixo e veja como foi.

Modelo de briefing de treinamento

Para te ajudar criamos um modelo de briefing de treinamento para você baixar. Para isso basta preencher o formulário abaixo que encaminharemos no seu e-mail. 😉

Sugestão: Antes de baixar e montar o briefing, recomendamos a leitura completa deste post.

Os 5 elementos da direção defensiva

Os princípios de direção defensiva têm por objetivo prevenir circunstâncias perigosas. Seguindo os 5 princípios listados abaixo, os condutores podem diminuir drasticamente os riscos nas estradas ou rodovias, mesmo sob circunstâncias extraordinárias, como mau tempo ou quando ocorrem erros de outros condutores na via.

1 – Respeite a Lei

Essa dica nem deveria precisar ser dada de tão importante. O respeito às normas de trânsito é um dos elementos mais importantes da direção defensiva. Afinal, boas práticas como dirigir abaixo do limite de velocidade da via, parar completamente nos semáforos e seguir corretamente nas faixas de rodagem são mais que regras.

A própria lógica já dá pistas que essas posturas aumentam a segurança no trânsito. Segui-las é a primeira linha de defesa e proteção contra acidentes de trânsito.

PONTO DE ATENÇÃO: a partir de abril de 2021, haverá mudanças no Código de Trânsito Brasileiro. Com isso, é importante reciclar o conhecimento dos condutores da frota. Apesar do afrouxamento de algumas leis, este período de adaptação gera muita confusão. Pois, algumas infrações de trânsito continuarão a somar pontos, mas não multas financeiras, o que o poderá ocasionar na suspensão da CNH e, posteriormente, afastamento deste colaborador. Atualizar os motoristas da sua frota é essencial para manter o desempenho do seu setor.

2 – Regra dos Três Segundos

A Regra dos Três Segundos diz respeito à distância que o condutor deve manter do veículo à frente. Significa que, em vez de pensar no espaço ao medir distâncias, o condutor deve saber converter espaço em tempo.

Levamos 1,5 segundo para notar qualquer objeto que possa ser perigoso para nós e outro 1,5 segundo para reagir e parar nosso veículo. Portanto, precisamos contar três segundos entre o nosso veículo e o veículo à nossa frente.

No vídeo abaixo, o instrutor da Younder Amauri de Sousa, dá algumas dicas sobre o tempo de parada e distanciamento dos veículos.

Para ir direto ao assunto, basta assistir ao vídeo a partir de 1 minuto e 18 segundos.

3 – Reduza as distrações

Se a prevenção de acidentes é o principal objetivo da direção defensiva, uma das formas mais importantes de prevenir é reduzir as distrações. São cuidados básicos como não usar o celular ao volante, posicionar o GPS de forma a não ter que tirar os olhos da estrada e garantir junto aos demais passageiros que não haverá agitações e alterações dentro do veículo durante o percurso.

4 – Fique longe dos estressadinhos

Evitar motoristas agressivos é sempre uma boa ideia. A raiva na estrada é, infelizmente, bastante comum, mas se engajar em disputas de ego e comportamentos agressivos no trânsito costuma ser a fórmula da tragédia.

Se deixar influenciar pela cólera alheia e entrar numa disputa é um ato irresponsável além de perigoso. Trata-se de um comportamento criminoso que sabemos bem como costuma acabar. Portanto, ao encontra um motorista estressadinho(a), o mais indicado é diminuir a velocidade e deixá-lo(a) ir embora.

5 – Certifique-se de ser visto

A pior coisa que o condutor pode fazer enquanto dirige é presumir que todos os outros motoristas dirigem com segurança, ou que o estão vendo a presença de outros veículos.

A direção defensiva envolve a atenção do condutor em garantir que os outros motoristas ao redor o vejam. É importante que o motorista dê aos outros a chance de antecipar seus movimentos e saberem que ele está por perto.

Faça o tese e descubra se os motoristas da sua frota adotam as melhores práticas

Condições adversas das vias

Um dos aspectos que os condutores, sobretudo os profissionais, devem se atentar antes de iniciarem uma viagem são as verificações de possíveis condições adversas na rota.

As informações sobre as condições das vias são o ponto de partida antes do planejamento do itinerário, bem como a estimativa do tempo que será necessário para completar a viagem.

O condutor, ou mesmo os responsáveis pela frota, devem estar bem informados quanto à roteirização do trajeto, ou seja, as vias que estão no percurso, o fluxo de veículos, as condições técnicas, entre outros fatores.

Outras informações relevantes são a quantidade de curvas, os desvios, as subidas e descidas, o tipo e o estado da pavimentação, trechos perigosos, serras, a incidência de neblina e chuvas, obras etc. Existem também as condições de tráfego, ou seja, a presença de pedestres, veículos, animais, etc.

Outro aspecto que faz total diferença diz respeito às datas comemorativas e ocasiões que podem influenciar (e muito) as condições de tráfego, como feriados, festas de fim de ano, ou mesmo períodos, como o Carnaval, em que há mais probabilidade de condutores alcoolizados nas ruas.

Direção segura nas condições climáticas

Veja a seguir como o condutor deve proceder ao trafegar sob condições climáticas que requerem maiores cuidados.

Direção defensiva na Chuva

A chuva oferece diversos riscos como a pouca visibilidade e a redução da aderência dos pneus na pista. Vale ressaltar que já ao início da chuva o condutor deve estar atento à aderência dos pneus. É neste momento que a pista fica mais escorregadia, devido ao contato da água com o óleo acumulado no asfalto. 

Se a chuva for intensa, mais atenção! A visibilidade cai drasticamente e a pista pode estar recoberta por uma lâmina d’água e poças que aumentam o risco de aquaplanagem. Já no caso de granizo, é preciso  parar o veículo em local seguro e aguardar o fim da intempérie.

Direção defensiva na Neblina

Quando envolto em neblina o condutor deve acender imediatamente a luz baixa do farol (e o farol de neblina quando houver) e aumentar a distância do veículo à frente além de reduzir a velocidade.

Atenção! O farol alto NÃO deve ser acionado pois, sob as partículas suspensas de água, o farol alto piora ainda mais a visibilidade. Além disso, é importante lembrar que a neblina deixa o pavimento úmido e escorregadio.

Condução segura em dias de ventania

Os ventos muito fortes podem deslocar um veículo em movimento e causar perda do controle. Uma boa dica é observar o movimento da vegetação às margens da via.

Outro fator causador de ventos é o deslocamento de ar gerado por outros veículos maiores em velocidade, sejam no mesmo sentido ou em sentido oposto. Reduzir a marcha do motor pode ajudar bastante na estabilidade do veículo nesses casos reduzindo a probabilidade de desestabilização.

Direção defensiva em situação de fumaça na via

A fumaça proveniente de queimadas provoca redução da visibilidade e redução da aderência do piso causada pela fuligem. Nos casos de queimadas, além de reduzir a velocidade, o condutor deve acionar a luz baixa do farol e, quando entrar na fumaça, não parar o veículo para evitar colisões dos veículos que vêm atrás.

Noções de segurança no trânsito

De acordo com o Manual de Direção Defensiva do DENATRAN, os riscos a que condutores, passageiros e pedestres estão sujeitos no trânsito estão relacionados com 5 aspectos: os veículos, os condutores, as vias, o ambiente e o comportamento das pessoas

Vamos ver a seguir os pontos mais importantes deles:

Manutenção Periódica e Preventiva

As peças de qualquer veículo estão sujeitas ao desgaste pelo uso e isso, claro, pode comprometer a segurança. Para evitar riscos, o responsável pela frota, bem como os condutores devem observar a vida útil e a durabilidade informada pelos fabricantes de acordo com as condições de uso.

A manutenção preventiva é fundamental para minimizar o risco de acidentes de trânsito, além de reduzir custos com avarias.

É importante estar atento às indicações do painel, e outros aspectos externos do veículo. Faça um checklist dos seguintes pontos: 

  • Nível de óleo de freio, do motor e de direção hidráulica;
  • Óleo do sistema de transmissão (em veículos de câmbio automático);
  • Água do radiador e do limpador de pára-brisa;
  • Palhetas do limpador de pára-brisa;
  • Desembaçadores;
  • Faróis (verificar luzes baixa e alta);
  • Lanternas dianteiras e traseiras, luzes indicativas de direção, luz de freio e luz de ré: inspeção visual.

Gestão dos pneus da frota

O estado dos pneus está entre os principais pontos de atenção para a segurança do veículo.

É importante ficar atento às seguintes questões:

  • Calibragem: o condutor deve seguir as recomendações do fabricante, observando a situação de carga (vazio e carga máxima). Pneus murchos têm sua vida útil diminuída, prejudicam a estabilidade, aumentam o consumo de combustível e reduzem a aderência em pavimento molhada.
  • Desgaste: os sulcos do pneu devem ter o mínimo de 1,6 milímetros de profundidade. A função dos sulcos é permitir o escoamento de água.
  • Deformações: quando os pneus têm bolhas ou cortes, eles podem estourar ou perder rapidamente a pressão, situação extremamente perigosa durante a rodagem.
  • Dimensões: não é nada recomendável usar pneus de modelos ou dimensões diferentes.

Suspensão dos veículos da frota

A suspensão e os amortecedores, quando gastos ou danificados, podem causar a perda de controle do veículo, especialmente em curvas e frenagens.

Verifique periodicamente o estado de conservação e o funcionamento de acordo com o manual do fabricante e levando o veículo à assistência técnica especializada sempre que necessário.

Dicas para evitar cansaço ao volante

Existem maneiras de amenizar o desgaste físico durante um longo trajeto. Para começar, a posição correta de dirigir diminui o cansaço e contribui para evitar riscos.

Veja a seguir algumas dicas simples que podem fazer toda a diferença.

  1. Dirigir com os braços e pernas ligeiramente dobrados, evitando tensões;
  2. Apoiar bem o corpo no assento e no encosto do banco, o mais próximo possível de um ângulo de 90 graus;
  3. Ajustar o encosto de cabeça de acordo com a altura do condutor, de preferência na altura dos olhos;
  4. Segurar o volante com as duas mãos, como os ponteiros do relógio na posição de 9 horas e 15 minutos;
  5. Procurar manter os calcanhares apoiados no assoalho do veículo e evite apoiar os pés nos pedais, quando não os estiver usando;
  6. Utilizar calçados que fiquem bem fixos aos seus pés, para que você possa acionar os pedais rapidamente e com segurança;
  7. Usar o cinto de segurança de maneira que ele se ajuste firmemente ao seu corpo.;
  8. Os retrovisores externos, esquerdo e direito, devem ser ajustados de maneira que você, sentado na posição de direção, enxergue o limite traseiro do seu veículo e com isso reduza a possibilidade de “pontos cegos” ou sem alcance visual.

E, claro, não adianta nenhuma dica acima se o gerenciamento da Jornada do Motorista não está sendo feito de forma adequada.

No vídeo abaixo, falamos sobre “Acidentes de trânsito por cansaço” para mostrar alguns dados que revelam que esse comportamento é um dos maiores causadores de acidentes entre motoristas profissionais. Vale o play!

Direção Preventiva e Corretiva

Direção preventiva

A direção preventiva é a ideal e recomendada. Ela é caracterizada por uma postura atenta do condutor que se torna capaz de  se antecipar às situações de risco, ou seja, prever o que pode acontecer a partir da observação.

Esse tipo de direção não exige muita habilidade do condutor e é considerada de baixo risco.  Para motoristas profissionais, este tipo de direção pode ser aprimorada por meio de treinamentos para os motoristas com objetivo de reciclagem dos condutores da frota.

Direção Corretiva

A direção corretiva deve ser aplicada para remediar uma situação não prevista e que não foi antecipada pelo condutor. Exige muita habilidade do condutor e é considerada de alto risco. 

A direção corretiva é sempre a última opção, sendo muitas vezes executada por meio de reflexo que, para que seja o mais adequado para determinada situação de emergência, depende da astúcia e experiência do condutor.

Esse tipo de reação ao perigo pode ser praticada por meio de treinamentos com o uso de simuladores de direção.

DDS com os motoristas da frota

O DDS ou, Diálogo Diário de Segurança é uma ferramenta muito utilizada pelas equipes de segurança do trabalho com propósito de criar uma rotina diária para abordar temas relacionados à segurança dos colaboradores.

Trata-se de uma reunião diária realizada entre o responsável por uma frota ou um orientador de segurança e a equipe de condutores.

É o momento em que são dadas as orientações de prevenção de acidentes que vão de atualizações de protocolos internos ou, eventualmente, mudanças no Código de Trânsito até discussões sobre questões circunstanciais (mau tempo, obras na pista etc), e outros aspectos da roteirização dos trajetos.

Esta prática está na rotina nas frotas de muitas empresas e faz toda a diferença não só na prevenção de acidentes como trazendo melhores resultados a toda a operação.

Para este assunto, recomendamos a leitura do post “DDS com os motoristas: comece agora a aplicar esta ferramenta na sua frota”

Direção defensiva é uma direção econômica

Provavelmente, você já ouviu falar que uma direção defensiva também é uma direção econômica. Veja a seguir algumas exemplos de como a direção defensiva pode ser muito bem definida como direção econômica.

Ficar atento ao tráfego para reduzir as mudanças de marcha

Ao ficar de olho nas próximas condições de tráfego, o condutor pode prever a redução da velocidade. É mais eficiente manter o veículo em movimento lentamente do que partir de uma parada completa.

Atenção aos limites de velocidade

Além do perigo de acidentes ou multas, o excesso de velocidade aumenta o desgaste do motor e o consumo de combustível do veículo.

Saber usar o embalo

O embalo do veículo em um trecho plano da estrada pode ser usado para enfrentar as subidas de forma mais econômica. Em alguns casos, o impulso pode ser usado para rolar até parar nos semáforos também.

Ao tirar o pé do acelerador, os motores de alguns veículos mais modernos param de usar combustível, proporcionando ainda mais economia. Saber tirar proveito do embalo de forma segura significa também não desperdiçá-lo com freadas bruscas.

Ao estar alerta para as condições de tráfego que se aproximam, o condutor pode eliminar freadas fortes desnecessárias, reduzindo assim o número de mudanças de marcha que ele precisa fazer e evitando eventuais problemas de sobrecarga de câmbio.

Usar a embreagem de forma inteligente

Engatar as marchas de forma inteligente minimiza o número de mudanças de marcha que o condutor faz, pulando marchas sempre que possível. 

Usar o controle de cruzeiro, se tiver

O controle de cruzeiro pode ser útil em viagens longas, especialmente em rodovias, para manter uma velocidade constante, econômica e segura.

Manter os pneus corretamente calibrados

Garantir que os pneus do veículo sejam mantidos com a pressão correta ajuda a melhorar a economia de combustível, aumenta a vida útil do pneu e reduz a chance de um acidente. O condutor deve verificá-los regularmente!

O valor de um treinamento de direção defensiva

Os diversos avanços tecnológicos e pedagógicos aplicados em cursos e treinamentos vêm fazendo os treinamentos voltados a condutores de frota alcançarem níveis sem precedentes de eficácia.

A conscientização e capacitação de motoristas quanto a direção defensiva vem mostrando que mais do que segurança, a direção segura traz benefícios e corte de custos em toda a operação. 

A contínua capacitação da equipe é, na verdade, o melhor caminho para tornar uma frota mais segura, eficiente e rentável.

Afinal, pouco adiantam novas tecnologias se o fator principal, o humano, não estiver pronto para aplicá-las. 

A Younder conta com soluções a pronta entrega e customizáveis de acordo com as necessidades de cada frota que serão personalizadas de acordo com os objetivos da empresa. 

Fale com um de nossos especialistas e saiba quais serão as melhores soluções para a sua frota.