Gestão de Frotas

Gerenciamento de riscos: saiba como prevenir acidentes na frota

Escrito por: Equipe Younder

Q gerenciamento de riscos é a ferramenta ideal para evitar qualquer contratempo financeiro, material e pessoal dentro do dia a dia da frota.

As operações de transporte de cargas exigem muita segurança e o cumprimento de um plano rigoroso de gerenciamento de riscos para que tudo ocorra dentro das expectativas.

Por isso, o gestor de frotas, dentro da gestão de projetos, precisa pensar em manutenções, orçamentos, regulamentações, multas, ou seja, todos os riscos que podem trazer prejuízos para a frota.

Assim, o gerenciamento de riscos é a ferramenta ideal para evitar qualquer contratempo financeiro, material e pessoal dentro do dia a dia da frota. 

Para te ajudar a entender melhor quais são os tipos de riscos e como funciona o planejamento do gerenciamento deles, separamos tópicos essenciais para sua leitura a seguir. Confira!

Entenda o que é o gerenciamento de riscos

É através de uma boa gestão de riscos que você consegue minimizar problemas que aparecem e evitar grandes prejuízos.

No caso de frotas, o gerenciamento de riscos vai identificar a probabilidade de ocorrências e maneiras de evitar riscos atrelados aos procedimentos comuns da rotina de transporte. Assim, a empresa vai trabalhar de forma preventiva para diminuir prejuízos.

O processo de identificar riscos precisa ser efetivo e fácil, para evitar que muita complexidade atrapalhe o seu desempenho. Com o devido cuidado, o gerenciamento de riscos pode até erradicar completamente as falhas de uma operação.

eBook Tríade da Gestão de Frotas

Qual é a importância da gestão de riscos para a empresa

O objetivo da gestão de riscos é avaliar tanto as possibilidades externas (situação do mercado, concorrentes, comportamento dos clientes, leis, regulamentações e etc.) quanto internas (mudanças na estrutura da empresa).

Dessa forma, o gerenciamento de riscos possibilita administrar com eficácia algumas incertezas que possam acontecer durante as operações e podem causar danos materiais, financeiros e pessoais para a empresa e para os colaboradores.

A depender dos riscos enfrentados, como situações de mercado ou novas tecnologias usadas pelos concorrentes, é até mesmo possível se adaptar e utilizar a situação ao seu favor.

Saiba quais as vantagens de adotar um gerenciamento de riscos para frotas

Em um país de dimensões continentais como o Brasil, o gestor de frotas tem que administrar muitos riscos dentro da operação e reduzi-los é essencial para que o negócio renda mais.

Sendo assim, o gerenciamento de riscos faz com que a frota aumente as chances de concluir projetos com 100% de aproveitamento e total segurança.

Quando a empresa prova que consegue passar por situações difíceis, sem grandes perdas, todos os colaboradores (inclusive acionistas, parceiros, investidores e consumidores) ficam mais confiantes da estabilidade da marca, aumentando a sua força no mercado.

Além disso, com as boas medidas preventivas, é possível minimizar riscos financeiros e evitar gasto desnecessário de dinheiro, além de outros impactos ruins que podem ocorrer na empresa, como baixa na produtividade e até mesmo insatisfação do cliente. 

Transporte Rodoviário de Cargas

Entenda os possíveis riscos para a sua frota 

Os riscos identificados podem ser de diversas naturezas: econômica, operacional, tributária, legal, de reputação, orçamentária ou outros. 

Vários fatores precisam ser levados em consideração quando o tema é veículo, desde o cuidado constante com manutenção até o valor do combustível e outros imprevistos, como acidentes e multas. 

São alguns exemplos de riscos: 

O alto valor investido na manutenção de veículos

A manutenção da frota está sendo feita corretamente? Quando sua frota passa muito tempo sem fazer manutenção dos veículos, algumas falhas podem acontecer em momentos inoportunos.

Dessa forma, aderindo à manutenção preditiva ou preventiva, você deve consegue se adiantar, evitando altos gastos em mecânica, paradas repentinas da produção ou serviço e até mesmo acidentes com colaboradores.

Quer saber mais sobre a Manutenção Preditiva para aplicar na sua frota? Confira o nosso artigo.

Veículos sem revisão 

Veículos sem a devida revisão podem ser perigosos para os colaboradores e para quem compartilha o trânsito com ele, além das multas que podem gerar, aumentando o custo da frota.

Por isso, realizar um check up no veículo é a forma ideal de prevenir contratempos, além de cuidar das medidas básicas de segurança dos colaboradores.

Você quer saber mais sobre o que fazer para evitar acidentes enquanto reduz custos? Sim, é possível e nós podemos te ajudar! Confira o nosso artigo sobre gerenciamento de frotas sem acidentes clicando aqui.

Roubo de cargas

Os roubos de cargas ainda ocorrem com frequência, e os alvos são variados, desde alimentos até medicamentos.

Ferramentas de monitoramento da frota, como tecnologias para rastrear o veículo, câmeras de segurança e outras estratégias podem evitar perdas valiosas para a frota e sua empresa. 

Multas e apreensões 

Cada apreensão ou multa é um problema para a frota, inclusive um risco para a segurança do motorista. 

Para gerenciar essa questão, há boas tecnologias de monitoramento que podem detectar o mau comportamento dos motoristas, inclusive se houver momentos de distração ou erros na direção.

Assim, incentivamos a prática da direção segura e reduzimos as chances de problemas.

Conheça o passo a passo para fazer um gerenciamento eficiente

Os percalços possíveis para o gestor de frotas são vários, por isso é preciso se prevenir de qualquer situação que possa prejudicar o processo e a qualidade do serviço. Mas, afinal, como fazer um bom gerenciamento de riscos? Siga a leitura para entender!

1) Identifique o risco

Para aplicar o gerenciamento de riscos, você deve listar os possíveis riscos que a frota irá enfrentar.

Essa é uma fase natural para qualquer projeto, e com a ajuda da tecnologia, fica mais fácil.

Há grandes recursos para monitoramento de veículos e identificação dos riscos, inclusive com análise do estoque para que peças não faltem, ou recursos como os que falamos anteriormente, para analisar o comportamento de um motorista.

Esse mapeamento é crucial para detalhar todos os processos sobre os quais você deve manter o cuidado adequado, e onde deve-se ficar atento(a) para evitar que falhas ocorram.

Uma dica é solicitar a participação dos motoristas e de outros colaboradores envolvidos para a construção da lista de riscos, a fim de antecipar e evitar esses possíveis danos.

2) Analise o risco

Com os riscos listados e bem descritos, é hora de interpretá-los.

Nessa fase, defina todas as informações importantes sobre cada risco: quais são as possíveis causas? Com qual frequência eles podem ocorrer? Quais são as consequências? Todas as questões importantes devem ser feitas e respondidas na medida do possível.

Com a pesquisa na empresa, analisando o histórico de ocorrência desses riscos com toda a equipe, é possível obter uma previsão razoável.

Essas análises também podem ser automatizadas, facilitando o processo de registro no sistema de gestão.

3) Faça um ranking de riscos e priorize os mais emergenciais

A gestão de frotas têm riscos mais frequentes e menos frequentes, então o ideal é priorizar alguns cuidados ou ao menos definir em quanto tempo cada risco deve ser manejado

Se possível, classifique os riscos para que saiba quando lidar com eles (por exemplo: de quanto em quanto tempo as manutenções preventivas devem ser feitas? Quando os treinamentos com os motoristas devem ocorrer?). 

Os riscos mais graves podem até interromper o transporte e custar muito para a empresa. Portanto, é ideal determinar um planejamento de respostas para tomar as decisões na hora certa.

4) Defina as ações a serem tomadas em resposta aos riscos

Primeiro, defina quem será o responsável pela resposta a cada risco, pois tarefas sem dono podem ficar sem serem feitas. Atribua o responsável de acordo com as capacidades dos colaboradores e depois defina quais ações deverão ser tomadas.

Se preciso, caso a possível falha seja muito grave, trabalhe para melhorar o projeto e redesenhar as estratégias, evitando esse risco. Muitas vezes, tecnologias podem ser aplicadas para evitar erros humanos.

Apesar da definição do responsável, é essencial que todos os colaboradores saibam como lidar com as possíveis falhas, ou ao menos aquelas que podem acontecer perto deles.

Além disso, é interessante que eles estejam inteirados da cultura de gerenciamento e prevenção da organização.

Nesse momento, é interessante conferir o nosso artigo sobre como adaptar a frota às novas tecnologias. Nele, nós citamos algumas práticas atuais como ferramentas de monitoramento, conectividade e segurança que servem para a tomada de decisões em resposta aos riscos. Confira aqui

5) Acompanhe a implementação e o resultado das ações

O monitoramento precisa ser baseado em métricas e feito diariamente.

Além do mais, o gestor da frota deve acompanhar os registros, se a probabilidade do risco aumentou ou diminuiu, e até mesmo se a forma de solucionar a falha está funcionando bem.

Isso porque o gerenciamento de riscos depende de uma análise apurada dessas métricas, de preferência com a ajuda da tecnologia e de profissionais capacitados para funcionar.

Se você quer evitar que falhas virem grandes problemas, é preciso treinar os seus colaboradores para que estejam preparados para lidar com os riscos.

A Younder está junto com você nessa jornada para a capacitação! Nós oferecemos treinamentos personalizados, teóricos e práticos para frotas. Fale conosco!