Mobilidade

Condução econômica: 15 dicas que fazem a diferença!

Escrito por: Carlos Bafutto

Bastam pequenas mudanças de atitude para economizar muito combustível! Saiba como praticar a condução econômica com dicas simples que fazem a diferença.

Certamente, em algum momento, todo motorista já se perguntou se pode reduzir o consumo de combustível por quilômetro rodado. Mais que benefícios financeiros, a condução econômica aumenta a vida útil do veículo e também pode fazer a diferença para o ar que respiramos nas cidades.

Afinal, o estilo de direção influencia muito no consumo de qualquer veículo, seja ele grande ou pequeno. Além disso, com uma direção eficiente, o condutor e passageiros têm maior conforto e muito mais segurança, além é claro de economia.

E bastam pequenas mudanças no estilo de direção para economizar muito combustível! Neste post, vamos ver algumas dicas para que você possa ir mais longe por menos.

Guia de atualização do CTB 2021

Pontos de atenção para uma condução econômica

A condução econômica é regida por um conjunto de regras simples, de acordo com as possibilidades oferecidas pelos motores. Separamos 15 dicas de como você pode reduzir consideravelmente o consumo. Vamos lá?

1. Velocidade

A velocidade é o aspecto que mais influencia o consumo de combustível, além de aumentar o risco de colisão. Na estrada o condutor deve manter uma velocidade constante respeitando o limite máximo da via. Na maioria dos veículos, você pode chegar à última marcha ao alcançar a velocidade de 60 km/h.

2. Troca de marchas 

Quanto mais alta a marcha, menor é a rotação do motor, o que melhora a eficiência do consumo de combustível. Por isso, quando dirigindo carro manual, sempre mude de marcha quando possível estabelecendo uma aceleração suave e constante até alcançar a velocidade desejada.

3. Suave na nave

A direção econômica prima pela suavidade. O condutor deve evitar tanto arrancadas como freadas bruscas. Outro erro é acelerar o carro em ponto morto. Essa prática pode danificar os cilindros de forma desnecessária.

4. Faixa de funcionamento

O condutor deve buscar entender quando o veículo opera de forma mais eficiente, mantendo alto torque com o mínimo consumo de combustível. Para identificar essa zona de eficiência, primeiro o condutor deve conhecer três características do motor:

A primeira diz respeito à potência, que aumenta à medida que aumentam as rotações.

A segunda está relacionada ao torque, que é a capacidade do veículo de movimentar a carga ou desenvolver velocidade em subidas.

Já a terceira trata do consumo específico de combustível. Uma vez que o condutor conhece e sabe interpretar os dois primeiros, é possível determinar a faixa em que o motor vai funcionar da forma mais eficiente possível.

Assista ao vídeo de condução econômica com ajuda do conta-giros

5. Espere um pouco

Aguarde alguns segundos antes de girar completamente a chave até o ponto de ignição para que o óleo chegue à zona de lubrificação antes do acionamento do motor. Para aqueles que já têm carro com botão de partida, não é preciso aguardar.

6. Desligue o motor

Outra dica (que já vem de fábrica nos veículos mais modernos) é desligar o motor quando em parado em semáforos demorados. Além de economizar combustível, isso diminui o lançamento de CO2 no ar. Os carros automáticos mais modernos já fazem isso algum tempo depois que o motorista tira o pé do acelerador.

7. Ar condicionado

O uso do ar condicionado tem um impacto considerável no consumo de combustível, uma vez que o processo de resfriamento do ar exige mais esforço do motor.

No entanto, é preferível usar o ar condicionado mantendo uma temperatura entre 21 e 22ºC ao dirigir em alta velocidade do que baixar o vidro. Isso porque o ar que entra no veículo gera maior resistência causando mais esforço por parte do motor.

8. Manutenção preventiva

A boa manutenção do veículo também é um fator determinante na economia de combustível, redução de emissões poluentes e segurança. Um motor bem ajustado com manutenção simples economiza uma quantidade surpreendente de combustível.

Por isso, é muito importante ficar atento às trocas de óleo, do filtro de ar, fluidos do freio, revisões e a quaisquer sinais de mau funcionamento. Outro ponto de atenção é o sistema de injeção eletrônica, que controla a mistura de ar e combustível no motor.

É recomendável a manutenção preventiva a cada 30 mil quilômetros rodados. Além disso, combustíveis aditivados ajudam a manter o conjunto da injeção limpo.

9. Pneus

Outro aspecto importantíssimo, tanto para a condução econômica quanto para a segurança, é a atenção aos pneus. Evite dirigir com pneus com pressão de enchimento inferior à recomendada pelo fabricante, isso aumenta tanto o desgaste como o consumo de combustível.

10. Aerodinâmica

Boa parte do consumo de combustível é produzido pela resistência do ar. Para melhorar a aerodinâmica e economizar combustível, o condutor deve evitar transportar malas ou pacotes em bagageiro acima do carro.

11. Carro não é depósito

E por falar em bagagens, não use o carro como depósito. mantenha o porta-malas e o banco traseiro sem itens desnecessários que podem adicionar peso ao seu veículo.

12. Planejamento e a condução econômica

Outro fator que pode ajudar muito a condução econômica é o bom planejamento. Dirigir em tráfego intenso de paradas e partidas vai gerar maior queima de combustível.

Por isso, tentar evitar horários de tráfego intenso sempre que possível pode gerar uma economia significativa.

Em muitas vias nos grandes centros, 10 minutos antes do horário de pico podem fazer toda a diferença de quanto tempo você vai ficar preso no trânsito.

O planejamento também se dá durante a condução do veículo.

São atitudes como desacelerar mais cedo quando o sinal está vermelho ou embalar o veículo antes de uma subida na estrada. Essas atitudes também ajudam a economizar combustível.

13. Mantenha o controle

O planejamento também passa pelo controle. Não se pode controlar o que não se conhece. Por isso, para que a condução econômica seja possível, é preciso, antes de tudo, saber quanto se está gastando.

Uma boa ideia é registrar todos os gastos com combustível para que se possa acompanhar o consumo. Isso pode ajudar inclusive a reconhecer anormalidades no desempenho do veículo de forma a ajudar no monitoramento de sua condição mecânica.

14. Procure abastecer em postos confiáveis

Se combustíveis de diferentes marcas podem ser mais eficientes uns que os outros, os combustíveis adulterados são carta fora do baralho.

Além de não serem eficientes e, portanto, menos econômicos, eles podem danificar seriamente o motor do veículo.

Por isso, suspeite sempre de preços muito abaixo do mercado.

15. Dirija com segurança

Mais que peças chave no transporte e abastecimento, os motoristas profissionais mais conscientes que atuam no trânsito todos os dias, já viram em suas rotinas que, no volante, é preciso saber sempre ter o controle da situação.

Eles sabem que é preciso estar atento à manutenção do veículo, que a aceleração suave economiza combustível e que as leis de trânsito têm sim razão de ser: a segurança de quem precisa voltar para casa todos os dias (ou meses) para estar com as suas famílias.