Gestão de Frotas

Transporte de carga: saiba como manter a segurança

Escrito por: Equipe Younder

O processo de transporte de carga é o que leva o produto ao cliente. Consiste em transportar a mercadoria para que esteja disponível no endereço indicado pelo cliente no momento correto.

O transporte de carga precisa ser cauteloso, pois existem normas que precisam ser seguidas para um processo seguro.

Quando não há o cuidado necessário, pode até mesmo resultar em multas para a empresa. Portanto, acompanhar se as ações estão sendo feitas corretamente – com respeito à legislação e ao correto manuseamento e armazenagem dos materiais –, é essencial no transporte de carga.

Para te ajudar a entender melhor quais os tipos de transporte de carga e que cuidados devem ser tomados na hora do envio, separamos alguns pontos importantes que você precisa saber na hora de gerenciar a frota de transporte. Confira a seguir!

O que é o transporte de carga?

No Brasil, onde o transporte rodoviário é grande, estima-se que 60% de todas as cargas são enviadas por estradas. 

O processo de transporte de carga é o que leva o produto ao cliente. Consiste em transportar a mercadoria para que esteja disponível no endereço indicado pelo cliente no momento correto, seja para abastecimento de estoque, exportação ou distribuição para pessoa física ou jurídica.

É claro, todo esse procedimento não é tão simples assim. Existe uma logística de distribuição dos produtos transportados em caminhões, além de soluções que possam otimizar operações como separação, colocação e retirada de materiais para o envio de cargas na ordem, sem falhas e no melhor prazo possível.

Você sabe lidar com a logística do e-commerce e o transporte de produtos? Entenda como definir estratégias e planejamentos conferindo o nosso artigo.

Conheça os principais tipos de cargas das rodovias brasileiras

Existem diversos tipos de cargas, e elas exigem diferentes formas de manuseio. É importante entender as legislações para cada caso, as necessidades das diferentes cargas por suas características e os possíveis danos que podem acontecer, caso o transporte de carga não seja feito corretamente.

Confira:

Carga frigorífica

O transporte da carga frigorífica é bastante específico, já que exige determinadas temperaturas, ventilação, higienização do veículo, nível de umidade e outros investimentos constantes.

Os produtos congelados ou frios devem ser transportados sem falhas, contaminações ou possibilidade de danos.

Carga viva 

As cargas vivas são normalmente animais, como vacas ou galinhas. Nesse tipo de carga, é necessário ter uma carroceria fechada, mas com ventilação, além de motoristas que saibam lidar com animais. Todo cuidado é pouco, já que a fiscalização é rígida com o transporte de cargas vivas. 

Carga a granel

As cargas a granel podem ser líquidas (leite ou sucos, por exemplo), normalmente transportadas em caminhão tanque ou caminhão-cisterna. Esses veículos exigem atenção redobrada quando estão transportando produtos químicos e inflamáveis.

Para cargas a granel sólidas (soja ou feijão, por exemplo), elas podem ser organizadas de várias formas diferentes, como caixas, sacas, engradados, recipientes, entre outros. Nesse caso, podem ser utilizados carreta, caminhão truck, carroceria basculante, bitrem, rodotrem etc.

É comum que essa modalidade de envio de carga exija muita higienização e, às vezes, refrigeração. 

Carga de grande porte ou indivisível 

Podem ser chamadas de cargas de grande porte, indivisíveis ou excepcionais, já que as dimensões excedem os limites regulamentares. Esse tipo de transporte deve seguir as regras do Código Brasileiro de Trânsito (CBT) e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). 

É necessário contar com uma grande logística para esse tipo de envio, pois é preciso garantir a segurança de forma mais efetiva, às vezes até mesmo com uso de escolta, velocidade adequada e horários controlados.

Além disso, é fundamental que o manuseio dessa carga seja estratégico, a fim de não representar risco para a mercadoria ou os colaboradores.

Carga seca

A carga seca é comumente composta de produtos não perecíveis e industrializados, e abarca uma grande possibilidade de materiais, de ferragens a peças para veículos. Esses produtos não necessitam de refrigeração e aguentam diferentes temperaturas. 

O transporte desse tipo de carga pode ser feito em caminhões de carroceria aberta, porém o Conselho Nacional de Trânsito (Cotran) exige o uso obrigatório de lona de proteção. Confira aqui mais informações sobre as regras para esse tipo de transporte.

Carga perigosa

A carga perigosa exige cuidado e respeito à legislação. O CBT impõe muitas regras para os transportes desse segmento. Toda a logística, desde o carregamento até a armazenagem, precisa ser feita de acordo com o padrão. Os colaboradores devem estar capacitados, e toda a manutenção deve ser feita antes do envio.

Carga de veículos automotivos 

Nesse tipo de transporte, geralmente quando são transportadas motocicletas ou carros, utiliza-se o caminhão-cegonha (ou cegonheiros). Neste caso, o indicado é que a carroceria seja plataforma ou guincho. 

A adoção de regras de segurança da carga é fundamental, utilizando cintas para amarração e outros equipamentos de proteção e sinalização, além de velocidade reduzida.

Cinco dicas para fazer o transporte de carga em segurança 

Agora que você já viu os tipos de carga e as suas especificações, é hora das dicas práticas:

1) Separe e sinalize toda a carga

O manuseio, a separação e a sinalização da carga são processos que devem ser feitos com muito cuidado, principalmente se for necessário transportar diferentes tipos de materiais em um mesmo veículo. 

Os materiais serão descarregados várias vezes. Por isso, deve existir a correta sinalização ao redor, indicando o tipo, se é frágil, o peso, as dimensões etc.

Outro ponto importante é ter a documentação em mãos. Para o transporte de cargas, os documentos fiscais normalmente são requisitados pelas autoridades para fiscalização. Todos podem ser eletrônicos. São eles:

 

  • Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e): um documento que lista todos os itens que estão sendo transportados entre fornecedor e comprador;
  • Manifesto Eletrônico de Documentos (MDF-e): um agrupamento de CT-e, utilizado normalmente para transporte interestadual;
  • Conhecimento de Transporte Eletrônico Outros Serviços (CT-E OS): válido para o transporte de pessoas, bagagens e valores. No caso do transporte de carga, serve apenas para o último item, no caso de transportadoras de dinheiro e outros tipos de ativos.

2) Ofereça a proteção necessária de armazenagem

Observe as diferentes cargas e as proteções adequadas. No envio de mercadorias preciosas, por exemplo, muitas vezes até veículos blindados e vigilância são necessários.

Independentemente de ser preciosa ou não, toda carga precisa ser transportada em um veículo com a manutenção em dia, com a suspensão que absorve corretamente os impactos para não danificar os materiais na carroceria, e com o correto empacotamento.

Alguns materiais não podem ser transportados em papelão! São opções a madeira ou o plástico mais forte, acompanhados de jornal, isopor ou plástico-bolha para proteger ainda mais. Líquidos exigem toalhas para conter vazamentos, e todo material precisa de proteção para que não escorregue ou balance.

Os motoristas também precisam de proteções! Entenda como gerenciar riscos e prevenir acidentes na frota aqui.

3) Fique atento às condições climáticas

Mesmo as cargas secas, normalmente mais resistentes, precisam ser mantidas em certo limite de temperatura. Não deve haver aquecimento nem muita umidade, ou os materiais podem ficar comprometidos. Uma boa opção são caminhões vedados.

O próprio transporte pode acabar passando por diferentes tipos de climas em regiões do Brasil, então alguns materiais exigem: bom acondicionamento, fitas isolantes, produtos que absorvem umidade, embalagens vedadas e isolamento.

As condições adversas do clima também podem afetar o motorista! Você sabe como lidar com certas situações na via? Conheça formas de prevenir problemas aqui.

4) Mantenha a higiene necessária no transporte de carga alimentícia

O veículo deve ser higienizado com frequência! Qualquer dano nos materiais, como embalagens ou caixas, podem gerar proliferação de bactérias. Por esse motivo, é importante estar atento para que não haja contaminação. Em caso de alimentos, o transporte pode ser feito por meio de ganchos presos no teto para que não toquem o chão.

5) Reduza impactos na carga

O caminhão do transporte deve estar em bom estado, com a manutenção atualizada, suspensão, além de freios e pneus verificados para evitar impactos. As embalagens devem ser resistentes, com indicadores de impacto para aguentar os empilhamentos e diferentes pesos.

Use materiais anti-impacto – que devem ser especificamente escolhidos para o tipo de material transportado –, como isopor, plástico-bolha, espuma de suporte anti-impacto, entre outros. A higienização deve ser periódica e, às vezes, é preciso usar pisos antiderrapantes

Gostou das nossas dicas? É preciso estar atento à legislação, como a Lei nº 11.442, de 5 de janeiro de 2007, e a Resolução nº 1, ainda recente, de 8 de janeiro de 2021, para cargas indivisíveis.

Para manter a segurança e o transporte de carga corretamente, você pode contar com o auxílio de uma empresa especializada nas normas de segurança da frota. 

Somos especialistas em treinamentos teóricos ou práticos para frotas, e a nossa capacitação está ao seu dispor. Fale conosco!