Direção econômica: como implantar essa cultura na frota
Treinamento para frotas

Direção econômica: como implantar essa cultura na frota

Escrito por: Carlos Bafutto

O gestor de frota sabe que a direção econômica deve ser um dos objetivos mais importantes entre os motoristas de frota. Como conscientizar o condutor?

Uma gestão eficiente de frota está sempre buscando meios de reduzir os custos com combustível. Quem atua no setor sabe que a direção econômica está entre as metas principais a serem incentivadas entre os motoristas de qualquer frota. Afinal, os custos com abastecimento tornam toda a operação bem mais cara.

Vamos ver a seguir como o gestor de frotas pode identificar onde estão os maiores desperdícios e como implementar uma cultura de direção econômica entre os condutores da frota.

Para isso, vamos começar definindo direção econômica como um conjunto de posturas e atitudes do motorista a fim de reduzir o consumo de combustível. Essas ações estão atreladas à capacidade do condutor de observar e avaliar as condições de rodagem e do motor.

Guia de atualização do CTB 2021

Coletando dados do consumo de combustível

O primeiro passo para a economia de combustível é saber onde está a alta no consumo. Para isso, a telemetria é uma grande aliada.

No caso de frotas pequenas que não contam com esse recurso, é possível obter resultados por meio do cruzamento periódico dos dados do hodômetro de cada veículo com os custos de abastecimento.

Neste caso, o gestor de frota precisa implementar um processo onde será preciso registrar dados como:

  • Data do abastecimento;
  • Identificação do veículo;
  • Nome do motorista;
  • Litros de combustível consumidos;
  • Quilometragem desde o último abastecimento (registrar a quilometragem atual do hodômetro e subtrair os dados anteriores).

Com os dados coletados ao longo do tempo, o gestor terá indicadores suficientes para saber onde e quando são as altas de consumo de forma a investigar suas causas e, por fim, mitigá-las.

Altos custos de combustível podem estar relacionados a diversos fatores como a rota ou problemas com o veículo.

No entanto, o fator humano, ou seja, a atuação do motorista é o que poderá fazer a maior diferença.

Além de rodar continuamente consumindo menos combustível, um motorista capacitado para a prática da direção econômica está preparado para antever situações e circunstâncias de maior consumo e evitá-las ou, pelo menos, saber atenuá-las.

Vale destacar que incentivar a direção econômica, também é incentivar a direção defensiva.

Faça um acompanhamento dos preços de combustível

As empresas de frota ou que dependem da compra de combustível em suas operações, passam por graves problemas como falta de visibilidade e transparência no preço do combustível. Sabemos que os reajustes de preços da refinaria são constantes, assim como oscilações de mercado.

Hoje, as empresas que buscam gestão de compras e reduções de custos podem contar com a ajuda de plataformas digitais de gestão que analisam seu histórico de notas fiscais e acompanham o repasse dos reajustes de preços, deixando todo o processo mais transparente e automatizado.

Envolvendo o condutor na busca pela direção econômica

A capacitação dos motoristas para a direção econômica pode fazer parte de um pacote mais amplo que compreende também a segurança no trânsito.

O treinamento é baseado em uma gama de aspectos técnicos e comportamentais pela redução do consumo de combustível.

Suporte ao motorista

Para ver as melhorias e encorajar a adoção a longo prazo da direção econômica, o gestor de frota deve acompanhar e identificar os motoristas que precisam de suporte.

É importante verificar as razões para uma alta no consumo de combustível. Para isso, o gestor deve conversar com o condutor para saber se houve problemas mecânicos ou diferentes circunstâncias de trabalho, como paradas e partidas mais frequentes ou cargas mais pesadas.

Nessa conversa o gestor terá a oportunidade de identificar quaisquer razões para o mau desempenho, discutir as ações e auxiliar o motorista com dicas e informações.

As sugestões podem incluir a realização de reparos no veículo, a possível remoção do excesso de peso ou a prevenção de velocidades excessivas.

eBook Tríade da Gestão de Frotas

Reconhecimento e incentivo dos motoristas

Alguns gestores de frota mantêm tabelas de classificação dos motoristas mais eficientes em economia de combustível. Um ranking periódico pode ajudar a encorajar uma cultura de direção econômica na empresa.

A divulgação do ranking dos motoristas pode ser acompanhada de lembretes periódicos sobre as vantagens da direção econômica, além de dicas e outras informações como a economia atingida no período.

Essas informações podem maximizar o engajamento dos motoristas da frota.

Uma política de incentivos para os condutores mais eficientes pode ser uma forma eficaz de promover a cultura da direção econômica em uma empresa.

Podem ser oferecidos bônus individuais ou de equipe, vouchers, pontuação em clubes de vantagens, entre outras.

No entanto, para isso, é muito importante ter regras claras para as pontuações e distribuição de prêmios e metas claras de desempenho acompanhadas de capacitações para que os condutores tenham condições de alcançar melhores resultados.

10 dicas de direção econômica para uma frota

Já falamos acima de como fazer da direção econômica um dos pilares da cultura de uma frota. Concluímos que a postura e capacidade técnica dos condutores estão no centro da questão.

Neste sentido, entendemos que motoristas capacitados reduzem o consumo de combustível por uma série de razões, como pela própria segurança, saúde financeira da empresa, meio ambiente etc.

Mas, afinal, quais são as principais práticas para dirigir com a maior economia possível de combustível?

Veja a seguir as 10 dicas de ouro da direção econômica. Uma lista para estar na ponta da língua de qualquer gestor de frota!

1 – Ficar atento ao tráfego para reduzir as mudanças de marcha

Ao ficar de olho nas próximas condições de tráfego, o condutor pode prever a redução da velocidade. É mais eficiente manter o caminhão em movimento lentamente do que partir de uma parada completa.

Os motoristas de caminhão ainda têm a vantagem adicional de altura para ajudar a monitorar o tráfego e as condições das estradas.

2 – Atenção aos limites de velocidade

Além do perigo de acidentes ou multas, o excesso de velocidade aumenta o desgaste do motor e o consumo de combustível do veículo.

3 – Saber usar o embalo

O embalo do veículo em um trecho plano da estrada pode ser usado para enfrentar as subidas de forma mais econômica. Em alguns casos, o impulso pode ser usado para rolar até parar nos semáforos também.

Ao tirar o pé do acelerador, os motores de alguns veículos mais modernos param de usar combustível, proporcionando ainda mais economia. Saber tirar proveito do embalo de forma segura significa também não desperdiçá-lo com freadas bruscas.

Ao estar alerta para as condições de tráfego que se aproximam, o condutor pode eliminar freadas fortes desnecessárias, reduzindo assim o número de mudanças de marcha que ele precisa fazer e evitando eventuais problemas de sobrecarga de câmbio.

Quando o condutor tiver que frear, recomenda-se o uso do freio de escape (se houver) para uma parada mais suave. Usar o sistema de freio de escapamento em vez do freio de pé não só economiza combustível, mas também prolonga a vida útil dos freios.

4 – Usar a embreagem de forma inteligente

Engatar as marchas de forma inteligente minimiza o número de mudanças de marcha que o condutor faz, pulando marchas sempre que possível.

Parte do uso inteligente da embreagem é manter as rotações baixas. Altas rotações aumentam o uso de combustível e criam um desgaste extra no motor.

5 – Usar o controle de cruzeiro, se tiver

O controle de cruzeiro pode ser útil em viagens longas, especialmente em rodovias, para manter uma velocidade constante, econômica e segura.

6 – Evitar excesso de marcha lenta

Um caminhão em marcha lenta consome cerca de um galão de combustível a cada hora. Isso pode aumentar rapidamente.

O condutor pode fazer uma pausa para verificar se realmente precisa que o motor funcione. Se não, ele pode desligá-lo.

7 – Consertar os defletores

Se o caminhão tiver defletores de ar montados no teto, é importante sempre ajustá-los para guiar o ar sobre o ponto mais alto da carreta.

Outra dica é tentar manter a carga com a menor altura possível para melhorar a aerodinâmica do caminhão e, assim, conseguir uma melhor economia de combustível.

8 – Evitar encher demais o tanque

Se um tanque estiver cheio até a boca, pode facilmente transbordar quando o combustível é aquecido, seja pelo sol ou pelo combustível devolvido pelo motor. Além de perigoso para os outros veículos da estrada, isso também é um desperdício.

9 – Manter os pneus corretamente calibrados

Garantir que os pneus do veiculo sejam mantidos com a pressão correta ajuda a melhorar a economia de combustível, aumenta a vida útil do pneu e reduz a chance de um acidente. O condutor deve verificá-los regularmente!

10 – Esteja pronto para uma partida fácil pela manhã

Se for parar à noite, estacione o caminhão de forma que não tenha que fazer muitas manobras pela manhã com o motor frio, pois isso pode consumir muito combustível.

Conclusão

Essas dicas podem ajudar o gestor e os condutores de uma frota a minimizar o uso geral de combustível e economizar muito.

A direção econômica pode se tornar um desafio motivador para todo o time. E os resultados da diminuição do consumo de combustível fazem bem para a empresa, para os colaboradores e para o planeta!

Aqui na Younder somos especialistas em treinamento para motoristas. Veja alguns dos nossos cases:

Quer saber como podemos te ajudar a capacitar os motoristas da sua frota e implementar uma cultura de treinamento para uma direção econômica e segura? Fale com um dos nossos especialistas.



Guia atualização do CTB 2021