Gestão de Frotas

Amarração de carga: saiba os tipos e como seguir a norma

Escrito por: Equipe Younder

É preciso que os motoristas sejam preparados para seguir os requisitos mínimos de segurança na hora de fixar os materiais corretamente, evitando falhas e prejuízos.

Você está atualizado sobre as novas normas que regulamentam a amarração de carga?

Esse procedimento, que fixa a carga junto à carroceria, mantém a mercadoria segura. Por sua importância, existem normas que regem esse processo e valem para todo o país.

Neste artigo vamos abordar o que é a amarração de carga, os tipos, as normas que regulamentam o procedimento e como segui-las. Confira!

Entenda o que é a amarração de carga

Como você viu anteriormente, a amarração é a fixação da carga no caminhão. É um procedimento necessário, já que é o que mantém a carga estável e garante a sua segurança.

Embora pareça simples, por causa da importância da tarefa e da necessidade de garantir que a mercadoria esteja segura, o processo de como fazer a amarração deve ser feito com muita atenção.

Dessa forma, é preciso que os motoristas sejam preparados para seguir os requisitos mínimos de segurança na hora de fixar os materiais corretamente, evitando falhas e prejuízos.

A amarração de carga evita avarias, movimentações, tombamentos, má distribuição/excesso de peso em apenas um lado do veículo e, até mesmo, perda de cargas. Além disso, esse processo evita acidentes, garantindo a segurança do motorista, do caminhão e dos outros veículos na via. 

Quer saber mais sobre como evitar acidentes no transporte? Nós te explicamos como fazer um bom gerenciamento de riscos. Confira aqui!

Conheça a norma regulamentadora para uma amarração correta

Recentemente, em 2017, houve a alteração da Resolução Contran nº 552, de 17 de setembro de 2015, que determina os requisitos de segurança para a amarração de cargas. A nova Resolução nº 676/2017 trouxe anexos que especificam pontos de amarração e questões como adesivos de identificação. 

E claro, as normas são obrigatórias em todo o território nacional. 

A Resolução nº 522, com suas atualizações, exige que: 

  • a utilização de cordas seja proibida. Portanto, a amarração das cargas deve ser feita apenas com cintas têxteis, cabos de aço e correntes que apresentem resistência mínima correspondente ao dobro do peso da carga;
  • também está proibida a fixação das amarras em peças de madeira ou metal que estejam fixadas às partes de madeira da carroceria;
  • barras de contenção, trilhos, malhas e separadores de carga sejam adicionais, e não obrigatórios;
  • cargas indivisíveis requeiram amarrações especiais, com mínimo de quatro pontos de amarração.

Os veículos em circulação tiveram até o dia 1º de janeiro de 2018 para se preparar, pois a resolução está em vigor e cobra multas em caso de descumprimento. Se quiser saber mais sobre a nova resolução, clique aqui. Se quiser conferir a Resolução nº 552, pode clicar aqui.

Transporte Rodoviário de Cargas

Saiba quais os tipos de amarração de carga

Em primeiro lugar, quando se trata de transporte de cargas, é necessário analisar o tipo de carga para que seja possível definir o tipo de amarração. As exigências são variadas, por exemplo: materiais líquidos exigem tanques completos; cargas vivas exigem chão antiderrapante; cargas de vidro requerem dispositivos metálicos. 

Isso quer dizer que cada volume e cada tipo de material exige amarrações específicas de acordo com as normas. Por isso, é importante analisar o peso, pois deve existir compatibilidade com o porte do caminhão e a amarração. A organização da carga deve ser equilibrada e estável, garantindo segurança.

Agora vamos aos tipos de amarração:

Fixação envolvente

Também chamada de tie down, nela o torno dos cabos e cintas são aumentados, o que aumenta também a força da carga contra o piso, impedindo que o objeto deslize.

Os objetos ficam bem presos e com bastante resistência a movimentos. A fixação envolvente é bastante usada em objetos empilhados de grandes dimensões.

Fixação direta em contentores

Essa fixação é personalizada, pois os contenedores devem ser fabricados especialmente para essa necessidade. Nessa modalidade, a carga é retida junto com a carroceria, atada à própria estrutura do caminhão. É o caso, por exemplo, de tanques e carrocerias basculantes. 

Fixação direta por meio de bloqueadores

É uma forma comum e prática de fixação, pois ocorre diretamente pelo uso de bloqueadores. A carga é armazenada e fixada na carroceria do caminhão, normalmente a partir de painéis (dianteiros ou traseiros) ou grades laterais. 

Fixação direta por meio de dispositivos

Em casos de maquinários ou blocos pesados de materiais, essa é a fixação mais utilizada. Entretanto, todo o caminhão precisa ser preparado, já que os pontos precisam aguentar o peso da alta carga. São utilizados ganchos fixados no chassi, nas catracas, nos cabos de aço, nas cintas e em outros dispositivos de amarração de carga.

Uma ótima forma de preparar o seu caminhão para otimizar todo o processo do transporte é por meio da tecnologia. Você conhece os diversos dispositivos de monitoramento e otimização para os caminhões? Confira aqui.

Entenda quem você deve buscar para entender as normas

Para um bom gerenciamento de frotas, é muito importante recorrer a empresas especializadas em gestão de frotas e segurança do trabalho. Afinal, são muitas as variáveis envolvidas nas normas reguladoras, e não atender a todas as exigências pode resultar em multas ou perigos para as cargas e os motoristas.

Conte com equipes especializadas para providenciar as modificações nos caminhões, esclarecer suas dúvidas, aplicar treinamentos e ações de segurança na unidade e explicar o uso de cada um dos equipamentos. Para conversar com um especialista, clique no botão abaixo!