Entrevistas

O que faz um gestor de frota?

Escrito por: Renato Mello

O ciclo de entrevistas que a Younder produziu, em parceria com o canal Mova-se, traz bate-papos com gestores de frota sobre os desafios do setor. Desta vez, a entrevista é com Raphael Muller, especialista de frota na Zoetis, uma multinacional de saúde animal que comercializa medicamentos, vacinas, produtos de diagnóstico, testes genéticos, biodispositivos entre outros serviços.

Raphael Muller tem mais de 20 anos de experiência nas áreas de terceirização, gestão de frota e atendimento pós-vendas key account. Atua como Gerente de Operações desde 2005 e tem experiência em gestão de equipe e desenvolvimento de pessoas, sendo responsável por mais de 200 colaboradores.

Ele afirma que seus focos principais são segurança, qualidade e satisfação. Para isso, Raphael desenvolveu habilidade em criar indicadores de performance, capazes de demonstrar os resultados esperados pela companhia.

Veja o vídeo do bate-papo esclarecedor que ele teve com o Paulo Bogo, do Mova-se. Eles conversam sobre o porquê de a segurança ter que ser encarada como um pilar da gestão de frota.

Se preferir, leia logo abaixo os principais tópicos dessa conversa. 😉

Momento da gestão de frota

“A função do gestor de frota passou a ter a importância que já deveria ter tido há muito tempo. Entendo que é um momento muito especial.

As empresas, tanto os prestadores de serviço, quanto os tomadores de serviço, começaram a entender o gestor de frota como, realmente, um colaborador bem estratégico para o negócio, e isso vem fazendo a diferença.

Quanto aos desafios, são inúmeros, mas acho que passa primeiro por entender e conhecer exatamente a operação onde o gestor trabalha. Acho que esse é o principal ponto.”

Pilares de uma gestão de frota eficiente

“Acho que é unir a eficiência operacional com a segurança do condutor. Isso vai trazer ideias, vai colocar o funcionário para pensar. Então, pensando nesses dois pontos, acho que o caminho é bem amplo. Acho que abre muitas oportunidades.

Outro desafio é fazer parceria dentro da companhia. O gestor de frota também precisa entender que ele não vai fazer nada sozinho, que ele precisa de parceria: com a área de compras, com os gerentes de cada unidade, com a alta gestão do negócio.

Então, a parceria é fundamental para que ele consiga ter êxito naquilo que ele vai buscar.”

Gestão de frota e cultura de segurança na empresa

“Tem uma palavra que resume muito como a Zoetis trata a segurança: responsabilidade. A situação é tratada de maneira leve aqui, nada é na marra.

Precisa entender que a gente entregou uma ferramenta para o condutor, ele tá na estrada, tá na rua. Ele tem a rotina dele.

Então a Zoetis trata como? Orienta, reeduca, informa, traça o perfil de condução de cada colega, traz informações relevantes para que eles possam seguir o dia com tranquilidade. Envolve a família.

O nosso propósito, e nós falamos isso sempre em nossos encontros, é que a gente quer que o nosso funcionário volte para casa em segurança.

Então, tendo esse propósito como prioridade, é o melhor caminho para que a gente consiga ter um plano de segurança muito estruturado. Esse é o principal ponto.”

Importância de definir a melhor ferramenta para capacitar o motorista

“É, sem dúvida. Acho que são inúmeras as possibilidades de fazer isso. A gente tem que primeiro entender qual é a necessidade, quais são os pontos principais para saber onde atacar.

A partir do momento que você tem isso, que você tem o perfil do condutor, não é pegar qualquer curso como se estivesse tirando a carta, faz o curso lá de reciclagem e tudo certo. Ele sabe o que a placa significa, se ele tem que passar ou não pelo farol vermelho. Ele sabe tudo isso.

O que ele precisa é saber o que ele faz, em que ele tem que melhorar. Então é encontrar a melhor ferramenta para atender o seu público.

E um detalhe importante: cada condutor é de uma forma, cada condutor tem o seu perfil. Então não adianta você fazer um curso só para todo mundo.”

Leia também:

Gestão de pessoas e mobilidade

“O gestor de frota é a pessoa que o RH tem que consultar, quando se trata desse tema, pois tem que estar muito presente na operação para falar de mobilidade.

Ele é técnico, ele está sempre envolvido com eventos de frota, onde se fala muito de mobilidade. Ele conhece de rota, é a pessoa que vai poder trazer ideias, ferramentas, opções, plataformas, que a gente tem inúmeras que podem ajudar nisso. Então, o gestor de frota tem muita responsabilidade quando se fala em mobilidade.”

Frota de carros elétricos

“Eu acho que são uma realidade. Num futuro não muito distante vai acontecer. Mas hoje existe muito conhecimento sobre o carro elétrico, todo mundo sabe que é muito bom, agora ainda falta estrutura, falta as empresas entenderem como funciona a manutenção, é muito caro, falta o governo talvez abraçar mais essa causa, trazer incentivos, melhorar estrutura nas estradas para que o condutor possa seguir. É uma realidade, mas ainda há que fazer muito para que todos tenham acesso.”

VEJA TAMBÉM: “Desafios da gestão de frota” – entrevista com Victor Afonso Coelho, Coordenador de Frotas da JLL, multinacional de serviços imobiliários corporativos.