Treinamento e Desenvolvimento

Gestão horizontal e vertical: o que são e como escolher a melhor para sua empresa

Escrito por: Equipe Younder

O modelo de estrutura organizacional horizontal é famoso em empresas de tecnologia ou de ramos mais modernos, que precisam de muita colaboração, criatividade, inovação, integração e autonomia entre os colaboradores.

Na hora de optar por uma gestão horizontal ou vertical, é preciso entender bem como funciona cada uma delas e qual corresponde melhor a cultura organizacional que você deseja implantar.

Por isso, hoje nós vamos te explicar o que significam as gestões horizontais e verticais, quais são as suas diferenças e como elas funcionam na prática. Além disso, vamos te ajudar a decidir qual é a melhor opção para o seu cenário

Boa leitura!

Entenda o que é uma estrutura organizacional

A estrutura organizacional é a forma com a qual a empresa funciona internamente: qual é seu tipo de gestão, como são os seus níveis hierárquicos, as divisões por cargos e departamentos e até mesmo as funções dos colaboradores.

Tudo depende do tamanho da organização, o setor no qual atua, quais produtos e serviços comercializa, quais são as atividades desenvolvidas internamente e quais são as atividades comuns na rotina de trabalho. 

A estrutura organizacional deve aproveitar ao máximo o potencial de cada colaborador, disponibilizando um ambiente propício para isso.

Qual é a importância de adotar uma estrutura organizacional na empresa

Nem sempre é fácil manter diferentes departamentos trabalhando juntos, seguindo o mesmo objetivo.

Para isso, é preciso muita organização em cada área da empresa, e por isso os diferentes tipos de estruturas organizacionais podem ajudar na hora de definir metas e objetivos de cada departamento.

Ao investir na estrutura organizacional no formato e com a gestão correta, você terá como resultado: 

  • Um planejamento estratégico baseado em etapas, funções, processos e tempo para o gestor e para os colaboradores;
  • Mais facilidade de determinar os responsáveis por cada fluxo;
  • Mais informações sobre os diferentes departamentos;
  • Melhores possibilidades de manter os colaboradores motivados e não sobrecarregados, o que também diminui o índice de turnover, e vários outros benefícios diários.
Modelo de Briefing para Treinamento

Conheça as gestões horizontal e vertical 

Os tipos de estrutura organizacional mais comuns são os modelos de gestão horizontal e o vertical, que são os temas do nosso artigo. Agora é hora de você entender melhor como funcionam e quais as diferenças entre eles:

Estrutura organizacional horizontal 

Afinal, o que é a gestão horizontal?

O modelo de estrutura organizacional horizontal é famoso em empresas de tecnologia ou de ramos mais modernos, que precisam de muita colaboração, criatividade, inovação, integração e autonomia entre os colaboradores.

Grandes empresas como Google e Netflix apostam nesse estilo de gestão, inclusive o próprio Elon Musk anunciou que a Tesla Motors adotaria esse tipo de estrutura depois que o modelo tradicional mostrou uma queda de 17% das ações desde 2017.

Esse formato é visto como mais moderno quando comparado ao vertical, e ótimo para pequenos negócios, pois não possui muitas hierarquias. É claro, continua mantendo lideranças e chefes, mas não segue a estrutura de gestão empresarial clássica. É um estilo ágil, onde tudo pode ocorrer muito rápido, sem grandes burocracias.

Estrutura organizacional vertical 

A estrutura vertical é a clássica, mais tradicional, seguindo um organograma vertical com suas lideranças e equipes do nível de comando mais alto ao mais baixo (metodologia top-down). 

Dessa forma, é uma estrutura mais rígida, com mais burocracia e necessidade de resposta do superior até a maior liderança da organização.

Saiba as vantagens da hierarquia horizontal e vertical

Tanto a estrutura organizacional vertical quanto a horizontal têm vantagens e desvantagens, e é essencial entender essas características antes de optar por um tipo, confira!

Vantagens de usar a gestão horizontal na empresa

Já que a cadeia de comando não é necessariamente sempre de cima para baixo, um dos pontos positivos desse formato é a facilidade e rapidez da tomada de decisão, pois os colaboradores são mais independentes, e podem alterar projetos, propor novas ideias e agir sem seguir regras muito rígidas.

Esse tipo de estrutura organizacional funcional gera mais motivação nos colaboradores, que se sentem mais responsáveis pelo bom funcionamento da empresa, o que aumenta o senso de pertencimento. 

Na cadeia horizontal, também é mais possível prezar pelo bem-estar dos funcionários, que são consultados antes de grandes decisões.

Além disso, existe mais transparência no compartilhamento de informações, estímulo de equipes multifuncionais e a criação de um ambiente de trabalho mais leve e dinâmico.

Você pensa na experiência dos colaboradores ao analisar qual tipo de gestão adotar? Conheça o termo Employee Experience aqui.

Como medir os resultados do treinamento ROI

Vantagens de optar pela gestão vertical

Na estrutura vertical, a hierarquia está muito bem definida, com topo, meio e base, num organograma fixo que facilita a organização para o gestor. Além disso, não é possível que um funcionário “invente” outras maneiras de percorrer os fluxos, já que há supervisão rígida.

As metas e salários também são muito bem definidos, e os gestores são responsáveis por traçar as estratégias, o que garante que elas estarão de acordo com o que querem os superiores. As responsabilidades também ficam bem delimitadas.

Entenda como escolher a melhor opção para sua empresa

Para escolher o melhor formato para a empresa, é fundamental levar em consideração alguns pontos, como: os concorrentes, o setor, o perfil dos colaboradores, o perfil dos consumidores, as possibilidades orçamentárias e muito mais. 

A cultura organizacional é uma das primeiras questões a serem observadas. De fato, o melhor para a produtividade é dar mais ou menos autonomia para os funcionários?

Aliás, você sabe o que é cultura organizacional? Se quer entender como usá-la na corporação, confira o nosso artigo. Nesse momento, também é importante ponderar o clima organizacional desejado ou já existente na empresa.

Para indústrias, o setor financeiro ou o setor da saúde, por exemplo, onde processos rígidos, cheios de regulamentações e padronizados devem ser seguidos, não é interessante seguir uma gestão horizontal. Já em startups e empresas onde a criatividade é base, como no setor da comunicação, a orientação horizontal é normalmente a ideal. 

Vale observar se a forma de comunicação, os tipos de processos e até a personalidade dos seus colaboradores se adequam ao tipo de estrutura escolhido. O importante é optar por aquela que gere maior qualidade na hora de entregar o produto  ou serviço ao cliente.

E aí, você já conseguiu entender qual é o modelo ideal para a sua empresa? É importante contar com ajuda especializada na hora de preparar os seus colaboradores. É só entrar em contato com a Equipe Younder!