Treinamento e Desenvolvimento

Design thinking para educadores: como usar nos treinamentos corporativos

Escrito por: Edemaike Silva

O Design Thinking é mais do que uma metodologia: é uma abordagem de pensamento excelente para incentivar a inovação e a resolução de problemas.

O Design Thinking para educadores é uma ferramenta que pode te ajudar a criar treinamentos para inovar, capacitar e estimular a equipe de uma maneira sistematizada e disruptiva. Mas, como fazer isso na prática?

Uma das melhores maneiras de capacitar seus funcionários e estimulá-los dentro da empresa é através de treinamentos, e eles devem ser personalizados e constantes.

Afinal, em um mercado competitivo, trabalhar com a inovação é essencial. Empresas ficam para trás quando não constroem um ambiente de capacitação humanizado e personalizado, em que a equipe se dedica para trazer o novo, evoluir pessoalmente e profissionalmente e se adaptar às tendências.

A melhoria deve ser um processo que está sempre presente na sua empresa. É por isso que hoje vamos te ajudar a entender o que é essa metodologia, quais são os benefícios e como criar treinamentos utilizando o Design Thinking

Boa leitura!

O que é Design Thinking para educadores?

O Design Thinking é mais do que uma metodologia: é uma abordagem de pensamento excelente para incentivar a inovação e a resolução de problemas. 

O termo pode significar, em tradução literal, “pensar como Designer”, e foi popularizado por Tim Brown, designer e CEO da Ideo, e autor de vários livros sobre o tema.

O empresário definiu o que é “pensar como um Designer”, uma sistematização que é importante em qualquer área, para empresas de todos os portes, pois trabalha com dois pilares essenciais: a experiência do cliente e a inovação.

Como o Design Thinking estimula o pensar 

O designer utiliza três bases para criar uma solução: Imersão, Ideação e Prototipagem. O processo de Design Thinking trabalha com essas mesmas etapas e técnicas para resolver problemas utilizando a colaboração de toda a equipe.

Apesar de nem todos saberem, na área do Design há uma preocupação além da estética: a função do que é criado. As cores, as linhas, a composição, o espaço, as direções, tudo é pensado de forma a facilitar a vida de quem faz uso e da jornada do colaborador, provocando a melhor experiência.

É aí que está a utilidade do Design Thinking para educadores, pois a sua metodologia trabalha com preocupações que devem ser foco nos treinamentos. 

Ou seja, você pode criar treinamentos personalizados e trilhas de aprendizagem dedicadas a desenvolver os principais aspectos que a empresa busca em seus funcionários.

Além de poder também focar na experiência do colaborador com o treinamento a fim de obter melhores resultados e maior engajamento.   

Modelo de Briefing para Treinamento

Quais os benefícios de adotar esse método na personalização dos treinamentos corporativos?

A abordagem do Design Thinking para educadores serve para o desenvolvimento de soluções inovadoras, pois é uma ferramenta que pode te ajudar a criar treinamentos de forma personalizada, com foco nos seus colaboradores, na experiência e na jornada deles dentro da capacitação e da empresa. 

Quando treinamos a nossa equipe, queremos evoluir juntos para trazer resultados tanto para contribuir no plano de carreira do colaborador quanto para melhorar sua produtividade dentro da empresa.

Por isso, o Design Thinking é uma ferramenta que vem para auxiliar a criar treinamentos mais eficientes nas diversas áreas, ajudando a capacitar equipes de forma humanizada.

Como funciona o processo de criação do design thinking para educadores?

As fases do Design Thinking são uma sistematização para ajudar você a colaborar e inovar. Com as etapas, você irá entender como criar treinamentos proporcionando uma boa experiência aos colaboradores para garantir o aprendizado.

Confira a seguir:

1) Entender qual o problema 

Para entender qual o problema, a primeira etapa é a imersão

Nessa fase, você vai pensar sobre o problema a partir de diferentes perspectivas. É ideal que esse estudo seja profundo e tenha como quem receberá o treinamento. 

Portanto, faça uma análise do assunto sobre qual será o treinamento, faça a coleta das informações, defina limites de horários e de temas para cada etapa da capacitação.

Depois, aprofunde o projeto, e, se preciso, faça uma pesquisa também sobre como os concorrentes e o mercado em geral promovem o treinamento em questão. As pesquisas devem ser feitas em todos os meios necessários, de técnicas à teóricas.

Uma dica que pode te ajudar nessa etapa do design thinking para educadores é estudar mais sobre o tema Employee Experience, ou seja, como melhorar a experiência do colaborador para facilitar o aprendizado e reter talentos na sua empresa.

Quer entender o conceito? Leia mais no nosso artigo.

2) Elaborar propostas 

Todas as informações coletadas e organizadas devem ser usadas para definir o padrão sobre o qual a capacitação será construída. Utilize ferramentas que facilitam a visualização: mapas de conceito, diagramas, post its, etc.

Nessa hora, interprete as informações de acordo com as necessidades das pessoas envolvidas no processo. Se possível, entreviste os próprios funcionários sobre o que eles acham que pode ser feito nos próximos treinamentos para facilitar o aprendizado.

Além disso, o ambiente para essas entrevistas deve ser livre e aberto para que os colaboradores dêem opiniões claras e tenham um impacto positivo.  

3) Transformar ideias em um protótipo

Agora é a hora de criar o projeto e transformar a ideia construída na fase anterior em algo tangível. Essa é a etapa da prototipagem

Como você prefere que o treinamento ocorra? Essa interpretação deve ser feita de acordo com as informações encontradas, pensando sempre na Employee Experience.

 Nós queremos te ajudar:

Algumas boas ideias são storytellings (uma técnica narrativa para causar identificação nas pessoas sobre o assunto contado e envolver os ouvintes) ou gamificação (uso de jogos para engajar pessoas). 

Nós já falamos sobre boas ideias para construir um treinamento dinâmico no nosso artigo que explica esses conceitos. É importante conferir as nossas dicas para essa etapa prática!

Outras opções também são capacitações que troquem a sala de aula pelo meio virtual, pois possuem um horário mais flexível e deixam os colaboradores mais à vontade para se expressarem. Como é o caso do Blended Learning.

4) Realizar os testes e medir os resultados

Depois de construído o treinamento, é hora de testar. O teste valida as propostas de protótipos que você construiu. Você pode escolher como testar, mas o importante é gerar resultados que podem de fato ser medidos: os colaboradores aprenderam o necessário? Eles gostaram do estilo do treinamento?

Por isso, é essencial metrificar os resultados! Peça, se possível, um feedback de todos os colaboradores e siga analisando os resultados com o tempo. 

É importante lembrar também que treinamentos devem ser sempre melhorados, pois lidam com pessoas e servem justamente para auxiliar os colaboradores em seus planos de carreira, assim como suprir as expectativas da empresa. 

E, por fim, lembrar que o Design Thinking não é uma receita mágica e sim uma ferramenta que traz soluções criativas a partir da mudança de pensamento e de atitude para ajudar a sua empresa a ser inovadora e humanizada.  

Quer a nossa ajuda para construir treinamentos personalizados? A Younder quer cuidar da sua equipe! Somos especialistas em desenvolver soluções educacionais, de treinamento e capacitação para empresas. Clique abaixo e converse com um dos nossos especialistas.